Autoridades afirmam que manadas sedentas têm invadido comunidades em busca de água em meio à seca prolongada, colocando grupos aborígenes em risco. Plano para eliminar animais prevê atiradores em helicópteros.

Autoridades australianas anunciaram que vão abater até 10 mil camelos selvagens que vem se aproximando de comunidades no interior em busca de água em meio à seca prolongada que atinge o país.

De acordo com as autoridades, as manadas de camelos em busca de água estão colocando em risco comunidades aborígenes nessas áreas. As cáfilas também estão competindo com animais nativos, como cangurus, pelas fontes de água cada vez mais escassas.
O plano para eliminar os camelos prevê o uso de atiradores posicionados em helicópteros.

A matança de camelos vai durar cinco dias e ocorrerá nos territórios de Anangu Pitjantjatjara Yankunytjatjara (APY), uma extensa área administrada por um governo local aborígene (AGL) e localizada no extremo noroeste do sul da Austrália. É a primeira operação desse tipo no estado.

“Essas manadas em busca de água colocam em risco as comunidades aborígines dos territórios e animais da APY”, explicou o comitê-executivo dos territórios da APY em um comunicado. De acordo com Marita Baker, membro do conselho executivo da APY, camelos estão derrubando cercas e invadindo casas para tentar obter água de aparelhos de ar-condicionado.

O Ministério do Meio Ambiente estadual, que defende o sacrifício dos camelos, explicou que a seca também causou “sérios problemas ao bem-estar dos animais”, pois muitos deles morreram de sede, ou ficaram feridos em confrontos ao competir por fontes de água.

“Em alguns casos, as carcaças de animais mortos contaminaram importantes fontes de água”, disse uma porta-voz do Ministério.

Via G1

01092

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Mundo