Rede estadual de SP não reprovará alunos por desempenho em 2020

Rede estadual de SP não reprovará alunos por desempenho em 2020

Para passar para o próximo ano letivo, os alunos devem entregar um número mínimo de atividades.

Nesta quarta-feira (11), o secretário de Educação de Estado de São Paulo, Rossieli Soares, anunciou que a rede estadual não reprovará os alunos por desempenho este ano. A decisão vale para todas as séries da rede pública de ensino de 2020 e os estudantes serão matriculados no ano que vem em regime de progressão continuada.

“Os estudantes de todos os anos do ensino fundamental e da 1ª e 2ª séries do ensino médio devem ser matriculados no ano/série subsequente em 2021 em regime de progressão continuada”, diz o texto da Secretaria. A resolução foi aprovada pelo Conselho Estadual da Educação.

Dessa forma, os anos letivos de 2020 e 2021 devem ser considerados como um ano letivo contínuo de oito bimestres. Portanto, o primeiro trimestre do ano que vem, por exemplo, será o 5º bimestre contínuo.

No entanto, cada aluno deverá entregar um número mínimo de atividades completas. De acordo com a pasta da Secretaria, 15% dos alunos da rede estadual não entregaram nenhuma atividade solicitada. Esse número representa mais de 500 mil estudantes em toda a rede de ensino. “Sentimos esse desânimo acontecendo”, afirma o Secretário.

O número mínimo de atividades será determinado pela própria escola. De acordo com Soares, é difícil determinar um padrão para todas as instituições do estado.

Enquanto isso, os alunos do terceiro ano do ensino médio que não tiverem entregado as atividades, não receberão o diploma de conclusão. “Nossa orientação para as escolas estaduais é que o aluno deve seguir sua trajetória escolar”.

Assim, se o estudando do terceiro ano tenha participado, mesmo que minimamente, das atividades propostas, e tenha o desempenho inferior ao adequado, ainda será aprovado. Esse aluno ainda poderá prestar vestibular para o ensino superior.

Planejamento escolar 2021

Segundo a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, o mês de janeiro do ano que vem deverá ter aulas de reforço escolar nas unidades estaduais. A previsão é de semanas de estudo intensivo, para que os alunos consigam recuperar a aprendizagem perdida neste período. Cerca de 10 mil professores serão contratados para as atividades de reforço.

O ano letivo de 2021 deve ter início no dia 1º de fevereiro e, para isso, será aplicada uma avaliação diagnóstica no início das aulas para medir o nível de aprendizagem dos estudantes. A pasta da educação vê a possibilidade de ter 100% das aulas presenciais no próximo ano.

Até o momento, aproximadamente 1,4 mil escolas estão abertas e realizando aulas presenciais.

Quando questionado sobre uma possível segunda onda de contaminação da Covid-19, Rossieli informou que o cenário será avaliado. O secretário também deu o exemplo das escolas na Europa, que mesmo passando pela segunda onda da doença, permaneceu com as escolas abertas. Por lá, as aulas passaram a ser consideradas serviços essenciais.

Com informações do Estadão SP.

Total
4
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Post

Anvisa autoriza retomada de testes da CoronaVac

Next Post

Motociclista morre após sofrer acidente na Anhanguera

Related Posts