Amigo viu João Alberto Silveira Freitas ser espancado por seguranças do supermercado até a morte

João Alberto Silveira Freitas foi espancado por seguranças até a morte. Foto: Reprodução

Um amigo da vítima, que viu João Alberto Silveira Freitas, homem negro de 40 anos, sendo espancado até a morte pelos seguranças, disse à reportagem do SBT News, que no momento da violência desproporcional, outros seguranças impediram populares de conter a agressão fatal.

O crime foi na quinta-feira (19 nov.), no estacionamento do supermercado Carrefour, na zona norte de Porto Alegre. O espancamento aconteceu após uma briga da vítima com uma funcionária do supermercado. Ela chamou os seguranças, que levaram Beto para fora e teriam espancado o homem até a morte.

Paulo Paquetá, presidente de uma associação de moradores e amigo de Beto contou ao SBT News como foi a situação.

“Na verdade aquelas cenas que todo mundo viu no vídeo. Aquela violência desproporcional, que causou a morte do Beto. Morreu desta forma, brutalmente e violentamente pelos seguranças do Carrefour”, explica.

Além disso, houve muitos questionamentos nas redes sociais sobre os motivos que ninguém foi até lá intervir na violência cometida pelos seguranças, Paulo esclareceu que tinha pelo menos uma dezena de seguranças impedindo que as pessoas parassem com a agressão.

Paulo Paquetá é amigo da vítima e diz que foi impedido pelos seguranças do supermercado de coibir a violência. Foto: Reprodução/SBT

“Algumas pessoas ali falaram nas redes sociais porque ninguém fez nada? Eu vou explicar porque ninguém fez nada. Não era só aqueles seguranças estavam agredindo. Mas cerca de 8 a 12 [seguranças] estavam fora da exposição da câmera, segurando a população para não intervir nas agressões”.

Paulo apela para quem esteve no local no momento do crime que entrem em contato com uma delegacia de polícia para que o crime não fique impune.

A polícia de Porto Alegre (RS) investiga a morte de João Alberto. Os dois homens acusados de agressão foram presos em flagrante por homicídio. A polícia passou a madrugada ouvindo testemunhas do espancamento e morte.

Vídeos na internet mostram que o espancamento foi em frente à loja e que socorristas tentaram salvar o homem, conhecido como Beto.

Beto morreu às vésperas do Dia da Consciência Negra, comemorado nesta sexta-feira (20.nov) em referência à morte de Zumbi, o líder do Quilombo dos Palmares, localizado entre Alagoas e Pernambuco.

Organizações sociais organizam um protesto na frente do supermercado nesta sexta-feira (20.nov) às 18h.

0749

You may also like

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Notícias